Horta vertical: as melhores formas de montar em espaços pequenos

Mora em um apartamento pequeno e quer ter plantas em casa? A horta vertical pode ser a solução.

A horta vertical é uma excelente forma de produzir alimentos e temperos fresquinhos, além de decorar o seu ambiente. Essa técnica permite que as ervas e hortaliças cresçam verticalmente e são penduradas longe do chão. Você pode utilizar diversos materiais como suportes e prateleiras.

Ter plantas em casa torna o ambiente mais alegre e bonito. Além disso, cuidar da sua horta é uma ótima forma de passar o tempo. As hortas verticais são muito indicadas para quem tem pouco espaço disponível para uma horta comum. Assim, mesmo morando em pequenos apartamentos é possível agregar mais charme e verde à sua casa.

Monte sua horta vertical

Alguns cuidados são necessários na hora de montar a horta vertical. Apesar das plantas serem ótimos elementos decorativos, na hora de montar uma horta em apartamento é preciso ter em mente que o objetivo principal é que elas cresçam fortes e saudáveis. Assim, o primeiro ponto é analisar o seu espaço disponível.

Uma horte vertical não ocupa o mesmo espaço que uma horta comum. Ainda assim, procure por um lugar arejado e que dispõe de iluminação solar. Contudo, lembre-se que sol em excesso pode ser prejudicial para a maior parte das hortaliças. Assim, o lugar ideal é aquele que tem sol por apenas parte do dia, preferencialmente durante a manhã. A longa exposição ao calor pode ressecar as folhas e esquentar muito a terra.

O que plantar?

Cada planta exige um cuidado distinto. Assim, se atente às que melhor se adequem ao seu estilo de vida. Se você passa muito tempo fora de casa, por exemplo, ou está habituado a fazer viagens a trabalho, o ideal é que não plante aquelas que exigem rega diária. Faça uma pesquisa prévia sobre as necessidades do que você deseja cultivar.

Preste muita atenção na hora de plantar espécies diferentes no mesmo vaso. Isso porque, nem sempre elas combinam. A hortelã é sempre um bom exemplo para ilustrar essa situação. Ela é conhecida como “planta invasora” e por isso não pode dividir o vaso com outras plantas para que não prejudique o crescimento delas. Se o espaço for um problema e você só possui um vaso para plantio, opte por plantas de raízes curtas.

Onde plantar?

Atente-se aos recipientes para plantio. Eles precisam se adequar ao seu espaço disponível, às plantas que desejam plantar e à sua decoração. Você pode optar por vasos unitários e dispor cada um deles em prateleiras pela casa. Além disso, existem as jardineiras retangulares que permitem o cultivo de uma ou mais espécies em um único recipiente. Elas podem ser presas por mão francesa ou suportes de ferro. Não se esqueça de verificar o peso suportado pelos suportes nas paredes. Isso porque, ao adicionar terra, plantas e água aumentam o peso.

Existem alguns tipos de vasos que podem ser facilmente encontrados no mercado. Conhecer cada um deles pode ajudar na sua escolha:

  • Vasos comuns: Esses vasos podem ser jardineiras, unitários ou meia lua, sendo este último perfeitos para paredes. Normalmente são feitos de cerâmica ou plástico.
  • Vasos alternativos: Esses vasos podem ser feitos do reaproveitamento de diversos materiais. Além de mais sustentáveis, costumam ser opções mais baratas. Você pode reaproveitar cascas de coco, que remetem a um estilo mais natural. Além disso, caixas de madeira de alimentos, se em bom estado remetem a uma decoração mais rústica. Tubos de PVC também são ótimas opções, e caem muito bem em uma decoração com estilo industrial.
  • Adicionais: como uma alternativa estética é possível adicionar à sua horta vertical floreiras e paletes. São ótimas adições para delimitar a área ou criar um espaço original.

Como fazer a sua horta vertical

Você pode encontrar no mercado diversas opções de suportes e vasos para a sua horta vertical. Contudo, também é possível fazer a sua própria horta com alguns materiais simples.

Materiais

  1. 2 pedaços de tábua para suporte, o tamanho fica a critério de cada um;
  2. Lixa de papel para trabalhos manuais;
  3. 1 lata de verniz para madeira;
  4. Rolo ou pincel;
  5. 6 vidros de conserva;
  6. 1 lápis;
  7. 1 régua de 30cm;
  8. 1 serra;
  9. Braçadeiras de pressão;
  10. Pregos;
  11. 1 martelo;
  12. Pedras, terra e plantinhas que serão colocadas no vaso;
  13. 1 giz.

Como fazer

  1. O primeiro passo é lixar cada uma das tábuas de madeira. Isso evita que alguma ferpa ou imperfeição atrapalhe o seu trabalho. Esse também é o momento de deixar as peças a sua cara, então faça acabamentos arredondados ou pinte a madeira antes de aplicar o verniz;
  2. Em seguida passe o verniz sobre a madeira com o rolo ou pincel. Pode ser que seja preciso mais de uma demão, mas lembre-se: quanto mais camadas, mais a madeira ficará escura. Enquanto as tábuas secam, limpe os vidros em conserva e os prepare para o uso;
  3. Com o verniz seco, marque nas tábuas os locais em que cada vaso será fixado com a ajuda de uma régua. O ideal é que exista uns 25cm de distância entre cada uma delas. Em seguida, faça uma marcação na horizontal também, com 12 cm para dentro da tábua. Ali é onde os vasos serão fixados;
  4. Com um pedaço de madeira que não será usado corte a largura de 1cm em forma de tira e em seguida corte a tira em 6 pedaços de 3cm, uma para cada vaso. Para que esses pedacinhos fiquem na mesma tonalidade que a tábua, aplique mais verniz;
  5. Posicione cada pedaço de madeira no ângulo certo. Basta colocar os pedaços menores sobre a tábua, fazer as marcações e virar levemente. Desse modo os potes podem acompanhar o movimento posterior;
  6. Posicione as braçadeiras sobre as madeiras menores e fixe com dois pregos de tamanho pequeno. Repita o processo até completar todos os vasos;
  7. Para os vasos é importante adicionar pedras ao fundo de cada um. Isso vai garantir que a água será drenada, evitando o apodrecimento das raízes. Adicione a terra e por fim as plantas escolhidas. Em seguida, basta posicionar os vasos sobre as braçadeiras e apertar para que elas fiquem bem seguras.

Hora do cultivo

Um processo muito divertido e interessante para montar a sua horta vertical é a escolha do que será plantado. As opções são muitas como orégano, manjerona, hortelã, tomilho, salsinha, cebolinha, manjericão e coentro. Pesquise sobre as necessidades de cada planta e quais serão mais bem usadas no seu dia a dia, afinal, a principal vantagem de se ter uma horta vertical, é utilizar o que é plantado na sua alimentação.

Nutra bem a terra no vaso com adubo. Ele garante que a planta cresça saudável e sem pragas e insetos. Uma dica de cultivo é reaproveitar a água usada para cozinhar vegetais para regar suas hortaliças. Essa água acaba ficando rica em nutrientes que estimulam o crescimento saudável da planta. Mas é importante que essa água esteja fria livre se sal ou óleo.

Outro ponto importante na hora de cultivar uma horta vertical é evitar dar água demais às plantas. Isso porque, o excesso de água apodrece as raízes e mata a planta. Esse problema é muito comum no inverno, quando as plantas levam mais tempo para absorver os líquidos. Para minimizar os riscos, adicione à base do vaso elementos que possam ajudar na drenagem da água, como pedras, pedaços de espuma ou pequenos furos.

Dicas para a sua horta vertical

Engana-se quem acredita que montar sua própria horta vertical é uma atividade trabalhosa. Existem diversas maneiras de montar a sua horta sustentável em casa, mas a mais comum é utilizar pedaços de tábua de maneira. Você pode substituir a madeira por palets, mas o processo é basicamente o mesmo.

Na hora de dispor das mudas opte por colocar as plantas mais resistentes e que precisam de menos água por cima. Desse modo, as plantas de baixo ficam mais encharcadas com a água que escoa das de cima. Outra dica é para que você tenha sempre o que colher na sua horta. Opte por plantas que depois da colheita voltem a brotar. Assim, colha sempre com uma tesoura, deixando sempre pelo menos o miolo inteiro para que ela volte a crescer.

Dê preferência para adubos orgânicos pois eles são melhores para a saúde das plantas. Além disso, os melhores períodos para rega são as primeiras horas da manhã e o fim da tarde. Isso porque, molhar as plantas em horários muito quentes faz com que a água evapore mais rapidamente. Molhar durante a noite também não é recomendado pois a absorção é menor e as folhas demoram a secar.

Uma dica para saber se o solo está bom é mexer na terra com os dedos. Lembre-se que a falta e o excesso de água são prejudiciais, então prefira sempre o solo úmido, mas não encharcado demais. Você também pode utilizar alguma ferramenta e observar se ao tirá-la da terra ela está seca ou úmida.

Cultivando uma horta vertical em apartamentos pequenos

Apartamentos compactos ou casas de metragens diminutas se beneficiam muito das hortas verticais. Existem técnicas de jardinagem que utilizam recursos para que as plantas cresçam para o alto ao invés de se desenvolverem ao longo da superfície de um jardim. Assim, você pode cultivar o que quiser sem se preocupar com espaço.

Além de trazer benefícios para a nossa alimentação, ter uma horta vertical em casa também oferece outros benefícios. São ótimas adesão na questão estética do ambiente, além de reduzir a temperatura interna e proporcionar um espaço mais acolhedor e fresco. Esse é um ótimo contraste diante do cenário urbano. Elas também são ótimas atividades para fazer com as crianças. A jardinagem estimula a paciência, responsabilidade e ecologia. Além de trabalhar a motricidade e a percepção do espaço, do corpo e da vida.

encontre apartamentos para alugar ou comprar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *